18/10/2012

no dia do médico


      DIAGNÓSTICO

Você constatou sem pressa
que pus a blusa do avesso
sentei torta na maca
borrei a maquiagem
fiz cara de morta

Você alertou devidamente
que era um olhar clínico
que observava cínico meus passos
enquanto tomava nota

Você examinou meu pé doído
investigou meu rastro
mediu meu juízo
e foi preciso ao atestar
que eu pisara em caminho proibido

19 comentários:

  1. Sei, Tati, que este eu lírico não pisa em caminho proibido, só metaforicamente.
    beijo,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrs, é verdade. O eu lírico é o melhor recurso para inventar histórias.. E o eu-poético que se vire para materializar a criação!
      Estou longe de ser indefectível, José. Mas que vivo em busca do caminho correto, ah, isso sim.
      abraço

      Excluir
  2. muito bom, muito bom mesmo, ganhaste um fã tatiana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Muito bom acho eu de ter ganhado um "fan". Assim me sinto uma "star"! ;)
      Obrigada pela visita, Anônimo.

      Excluir
  3. Diagnóstico divertido e gostoso de ler, Tatiana. Gostei mesmo.

    Beijo pra você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Dade! Fico feliz, pois tb me alegro muito no teu espaço.
      Beijo pra ti.

      Excluir
  4. Em determinados casos é bom ter uma segunda opinião médica, sobretudo se a consulta foi pelo SUS. O Exame do pé no caminho proibido pode ser um falso positivo. Pelo visto ele não auscultou o coração, esse sim pode diagnosticar com precisão se o rumo era o correto. Com tantas avaliações assim só posso concluir que o médico tem que ser muito paciente. Teus textos são sempre tão criativos e lúdicos que convidam a quem passa por aqui a entrar na dança. É uma alegria ler teu blog. Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Óh, Paulo, tu vais longe na brincadeira!..rsrs
      Fica mais divertido ainda!
      abraçao pra ti

      Excluir
  5. Tati, te ler é uma delícia. Acho que gostaria de um médico assim! :-)
    Beijos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Taninha, esse médico é uma ficção, ficou mais para uma telepata, um amigo sábio.. mas é bom ter pessoas que saibam nos "ler", não?
      Beijo, querida!

      Excluir
    2. que sensível olhar de quem nos é atento!

      Excluir
  6. Me surpreendeu, já vinha ler cheio de preconceito por conta do título, não que não goste de médicos. Ainda bem que queimei a língua!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk Preconceito mata, Fred!
      abraço pra ti

      Excluir
  7. Muito interessante teu "diagnóstico", Tati. Seria tão bom que essa ficção se tornasse realidade :)

    beijoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrs, seria, Ci! Aliás, seria bom ter sempre um oráculo para consultar quando o caminho fica nebuloso, não?
      beijosss

      Excluir
  8. Uma delícia de ler, Tati.Adorei!

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada, Parole. Tb adoro teus escritos! bjo

      Excluir
  9. Tati, você tem um estilo único, uma doçura inteligente, um humor e uma ternura tão raros.
    Eu tenho há alguns anos um médico que é um santo rsrs
    Mas tive um, digo, uma, que foi o diabo!

    beijoss

    ResponderExcluir
  10. Obrigada, Bipe, acho tudo isto de ti! :))
    "De diabo e de santo, todo médico tem um tanto" - não é assim o ditado? rsrs
    Que bom que agora já estás bem "medicada".
    beijo!

    ResponderExcluir

Não apague suas pegadas, deixe aqui sua impressão digital!